#baratavoa. A Cinemateca entrou numa Frias.

O ator Mário Frias, secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, pediu as chaves da Cinemateca Brasileira.

Como assim, Tixa? Darling, vai vendo. Frias  mandou um ofício para a Cinemateca pedindo as chaves do prédio. Isso porque, segundo o ator/secretário, o contrato com a organização social Roquette Pinto que administra o local acabou em 2019. 

Mas não é bem assim. O contrato do governo com a Cinemateca vai até 2021. O que foi suspenso foi um contrato com o MEC para produção da TV Escola. Suspenso também foi o repasse de verba federal, colocando a organização numa friaca. Em 2019 só receberam metade do previsto em orçamento e neste ano, necas! Estão mantendo tudo com recursos próprios. 

Deu treta. O Ministério Público Federal foi pra justiça acusando a União de abandono administrativo e estrangulamento financeiro do órgão.

PP. Para os Perdidos. A Cinemateca existe para preservar a memória do cinema nacional. 

PP1. Bolsonaro, quando tirou Regina Duarte do cargo que Mário Frias ocupa, prometeu pra ela o comando da Cinemateca que fica em São Paulo. 

PP2. Como o controle da instituição não está nas mãos do governo e sim da associação Roquette Pinto, ele teria que dar um chapéu jurídico para cumprir a promessa.

PP3. Regina está chupando dedo até agora. Fim.

#baratavoa. Casos de Famílias.

Bolsonaro bota no Ministério das Comunicações o genro do Silvio Santos, o Fabio Faria, aquele que acha que na Floresta Amazônica tem Mata Atlântica, e daí descaradamente começa a fazer propaganda para o SBT. Alô TCU, pode isso? E pior ainda foi o secretário de comunicação, o Fabio Wajngarten, que é subordinado de Faria. Ficou contando vantagens de o SBT ter vendido cotas de patrocínio para o Fla x Flu.

PP (para os perdidos). Bolsonaro fez uma medida provisória para tirar o monopólio da Globo na transmissão de jogos de futebol.

PP1. O Flamengo, que tem um presidente maior puxador de saco de Bolsonaro, está transmitindo seus jogos com base na MP. Faz isso porque não tem contrato de exclusividade com a Globo como os outros times do Carioca. Já a Globo diz que a MP não poderia mudar contratos feitos antes da MP e decidiu não transmitir mais os jogos. O SBT foi lá ontem e transmitiu a final do campeonato.

PP2. O Flamengo foi campeão ontem.

PP3. O TCU é o tribunal que fiscaliza as contas do governo e já avisou Bolsonaro que o governo não pode privilegiar emissoras.

#subindopelasparedes. O Apaziguador Geral da República.

Bolsonaro orienta o general da saúde a ligar para o supremo Gilmar e encerrar a treta.

Mônica Bergamo revelou em sua coluna que, a pedido do capitão, o general Pazuello ligou ontem para o ministro supremo Gilmar Mendes.

Tudo por conta da enorme treta que a declaração do supremo no final de semana causou, dizendo que o exército estaria se associando a um genocídio por conta do péssimo enfrentamento à pandemia.

Teve nota de repúdio do Ministério da Defesa e sermão do vice Mourão, para Mendes.

Bolsonaro não disse um A. Ficou quietinho e agora como um monge resolveu ajudar a acalmar os ânimos.

Para a jornalista, Gilmar Mendes só disse que “Foi uma conversa cordial”.

Acho que os atos humanitários do advogado Wassef tomaram conta do coração do presidente e ele resolveu seguir o lema paz e amor, após a prisão do Queiroz. Só pode ser isso.

#baratavoa. Operação Dislike.

Alexandre o grande, digo, o supremo, libera acesso da PF à investigação do Facebook em contas bolsonaristas.

Azedou o pé do frango, Tixa? Isso, darling. O ministro supremo tomou a decisão naqueles dois inquéritos que têm incomodado tanto os bolsonaristas: o das fake news e o sobre atos antidemocráticos.

E o que isso significa? Significa que agora a polícia terá acesso aos perfis, datas e otrascositasmas das contas derrubadas pela rede social que eram ligadas à Family.

Para a empresa só são dados, já para a justiça esse acesso pode trazer revelações bem comprometedoras das ligações e comportamentos do clã bolsonarista.

#subindopelasparedes. Arrumando as Malas.

O supremo Toffoli trabalha até tarde e concede prisão domiciliar para Geddel Vieira Lima.

Tiiiixa do céu! Tu tá de brincadeira? Não, mon amour. O STF concedeu ontem à noite, mais precisamente às 23h53, liminar para que Geddel fosse cumprir em casa sua pena. 

Onze e cinquenta e três da noite, Tixa? Sim. Esse povo trabalha pesado, darling!

O ex-ministro de Lula, que está preso na Bahia, foi testado duas vezes pra Covid-19. Na primeira deu positivo, mas na segunda, negativo. Daí, a defesa alegou que, diante dessa indecisão do vírus, o preso que está no grupo de risco e tem comorbidades, tinha que ir pra casa. Toffoli acatou. 

O ministro disse em sua decisão que o centro prisional não tem condições de dar o tratamento adequado ao preso e que isso poderia matar o sujeito. 

Não teve o mesmo direito o ex-deputado federal Nelson Meurer, primeiro condenado pelo Supremo na Lava Jato. Desde o final do ano passado a defesa tentava conseguir a prisão domiciliar pois Meurer tinha uma série de doenças. Foi infectado pelo coronavírus e piorou. Mesmo assim o STF negou o pedido e ele morreu no último domingo. 

PP. Para os Perdidos. Geddel Vieira Lima é aquele mesmo, darling. O homem dos R$ 51 milhões na malas, que a PF encontrou em seu apartamento.

#subindopelasparedes. Trump desiste de expulsar os estudantes.

A Casa Branca anunciou que não vai mais tirar os vistos dos alunos estrangeiros.

Tixa, que ótima notícia. É, darling. Nem parece coisa do Trump, né? E, ao que tudo indica, ele fez meio que a contragosto. A treta é que no começo do mês o presidente americano determinou que os alunos estrangeiros que não tivessem aulas presenciais durante a pandemia não poderiam permanecer no país.

Acontece que, justamente por conta da pandemia, as universidades e escolas estão no esquema de aulas online. E aí? Ai que universidades como Harvard e MIT foram para o pau contra Trump. Gigantes da tecnologia como Google e Microsoft também ameaçaram agir. E o mito da terra do Tio Sam voltou atrás. 

São mais de 1 milhão de estudantes de outros países em universidades dos EUA. E vale lembrar que além de torrarem a grana com os estudos, eles também consomem, pagam aluguel, movimentam a economia de forma importante.

#perdeuorabo. O lado negro da força.

Polícia Federal mete o pé na porta do Paulinho da Força. 

E a Lava Jato dá as caras mais uma vez na manhã de hoje. Dessa vez o alvo é o deputado federal Paulinho da Força (Solidariedade). Essa operação é um rolê junto com o Ministério Público Eleitoral e foi batizada de Dark Side.

E a primeira fase da operação Lava Jato junto à Justiça Eleitoral. A treta com o Paulinho é que ele teria esquematizado um caixa 2 de R$ 1,7 milhão, além de lavar grana. Isso tudo relacionado com as campanhas de 2010 e 2012.

O balaio de gato envolveu doleiros, por supuesto, além de um escritório de advocacia que emitia umas notas geladas e que tinha como um dos sócios o genro de Paulinho.

Há duas semanas a Lava Jato foi pra cima de José Serra (PSDB) por conta de suposto desvio de dinheiro nos anos de 2006 e 2007. Como dissemos no post relacionado a essa notícia, em 2033 chegam no Aécio.

#baratavoa. Barra Pesada.

Mourão, o vice de Bolsonaro, criticou o supremo  Gilmar Mendes por ter dito que o Exército entrou numa onda de genocida durante essa pandemia.

Tixa do céu, fechou o tempo? Parece que vem trovoada por aí, darling. Mais cedo o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, tascou a famosa nota de repúdio contra a fala de Gilmar. E disse que vai entrar com uma representação na PGR contra o ministro supremo. Treta!

Daí, Mourão veio na sequência e disse que o ministro forçou a barra e passou os limites da crítica. Tipo, chamou o pai de coxinha e a mãe de empadinha. (Nossa, do fundo do baú).

Apesar dos pesares, Mourão disse que o clima tá mais tranquilo entre executivo e legislativo. Bom, depois que Queiroz foi liberado para prisão domiciliar Bolsonaro já começou a dar umas atacadas de novo na imprensa. Vamos ver como fica essa nova treta com o supremo.

PP. Para os Perdidos. Queiroz é Fabrício Queiroz, ex-assessor/motorista/otrascositasmas de Flavinho. Ele foi preso na casa do advogado de Bolsonaro mês passado e, semana passada, liberado pelo STJ para cumprir prisão em casa com sua mulher que estava foragida.

#baratavoa. João 8:32.

Márcia, a mulher de Queiroz e que estava foragida havia quase um mês, apareceu hoje.

Os dois foram agraciados com prisão domiciliar (nas redes estão chamando de prisão domiciliana) e vão ficar juntinhos no apartamento do casal no Rio.

Sem internet, celular ou contato com outras pessoas, tipo um retiro espiritual. Ah, e de tornozeleira eletrônica.

Mas é interessante perceber porque faz tanto sentido Bolsonaro viver falando aquele versículo da Bíblia, o João 8:32 – “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

E não é que apareceu o tal João? O ministro do STJ, João Otávio de Noronha, que como um anjo…. Não, anjo é de outro capítulo…. que como um discípulo libertou aquele que conhece toda a verdade.

A fé de Bolsonaro é tão poderosa que nem a Covid ele transmitiu, mesmo não usando máscara e mesmo ficando cara a cara com ministros, governadores e tantas outras pessoas. Até a primeira-dama, testou negativo!

PP. Para os Perdidos. Noronha, o ministro do STJ, libertou ontem o Queiroz para cumprir prisão domiciliar e estendeu o benefício à mulher dele, Márcia, quem nem presa tinha sido ainda.

perdeuorabo. Os Santos.

Preso agora cedo no Rio o ex-secretário da Saúde do Estado.

Tixa, me atualiza? Estamos aqui pra isso, darling. Edmar Santos, ex-secretario da Saúde do governo de Wilson Witzel, rodou. Foi preso em casa, lá em Botafogo.

O MP do Rio acusa Santos de ser integrante da quadrilha que fraudou a compra de respiradores. Aquela treta bilionária que fez até a PF bater na porta do governador, lembra?

E olha o rolê doido. Primeiro Witzel exonerou Santos alegando falhas na gestão dos hospitais de campanha, depois que a denúncia de fraude pipocou.

Mas na sequência CRIOU uma secretaria extraordinária de Acompanhamento da Covid-19 e nomeou quem? Quem? Isso, Edmar Santos. O mesmo que ele acabara de exonerar por má gestão.

Ai, Tixa. É segunda chance que fala? No coments, darling.

E olha que bacana, Santos manteve o foro privilegiado que o livrava de uma possível prisão. Mera coincidência tudo isso né, people?

Mas a juíza Regina Chuquer deu razão a uma ação popular contra essa maracutaia, digo, nomeação estranha e suspendeu a festa.