#baratavoa. A Cinemateca entrou numa Frias.

O ator Mário Frias, secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, pediu as chaves da Cinemateca Brasileira.

Como assim, Tixa? Darling, vai vendo. Frias  mandou um ofício para a Cinemateca pedindo as chaves do prédio. Isso porque, segundo o ator/secretário, o contrato com a organização social Roquette Pinto que administra o local acabou em 2019. 

Mas não é bem assim. O contrato do governo com a Cinemateca vai até 2021. O que foi suspenso foi um contrato com o MEC para produção da TV Escola. Suspenso também foi o repasse de verba federal, colocando a organização numa friaca. Em 2019 só receberam metade do previsto em orçamento e neste ano, necas! Estão mantendo tudo com recursos próprios. 

Deu treta. O Ministério Público Federal foi pra justiça acusando a União de abandono administrativo e estrangulamento financeiro do órgão.

PP. Para os Perdidos. A Cinemateca existe para preservar a memória do cinema nacional. 

PP1. Bolsonaro, quando tirou Regina Duarte do cargo que Mário Frias ocupa, prometeu pra ela o comando da Cinemateca que fica em São Paulo. 

PP2. Como o controle da instituição não está nas mãos do governo e sim da associação Roquette Pinto, ele teria que dar um chapéu jurídico para cumprir a promessa.

PP3. Regina está chupando dedo até agora. Fim.