#baratavoa. Barra Pesada.

Mourão, o vice de Bolsonaro, criticou o supremo  Gilmar Mendes por ter dito que o Exército entrou numa onda de genocida durante essa pandemia.

Tixa do céu, fechou o tempo? Parece que vem trovoada por aí, darling. Mais cedo o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, tascou a famosa nota de repúdio contra a fala de Gilmar. E disse que vai entrar com uma representação na PGR contra o ministro supremo. Treta!

Daí, Mourão veio na sequência e disse que o ministro forçou a barra e passou os limites da crítica. Tipo, chamou o pai de coxinha e a mãe de empadinha. (Nossa, do fundo do baú).

Apesar dos pesares, Mourão disse que o clima tá mais tranquilo entre executivo e legislativo. Bom, depois que Queiroz foi liberado para prisão domiciliar Bolsonaro já começou a dar umas atacadas de novo na imprensa. Vamos ver como fica essa nova treta com o supremo.

PP. Para os Perdidos. Queiroz é Fabrício Queiroz, ex-assessor/motorista/otrascositasmas de Flavinho. Ele foi preso na casa do advogado de Bolsonaro mês passado e, semana passada, liberado pelo STJ para cumprir prisão em casa com sua mulher que estava foragida.