baratavoa. INVESTIGUE-SE.

Ministro da Justiça manda PF investigar colunista da Folha.

Eita Tixa, qual a treta? A treta é mooonstra, darling. Ontem o colunista da Folha, Hélio Schwartsman, publicou artigo de opinião onde diz que, apesar de lamentável, uma possível morte de Bolsonaro, infectado pela Covid-19, salvaria muitas outras vidas. Logo no título ele já mandou: “Por que eu quero que o Bolsonaro morra”.

A repercussão foi grande, claaaro. Aliás o pessoal estava nessa vibe e as hashtags de #forcacovid, #forcacorona e #morrebolsonaro fizeram sucesso ontem nos assuntos mais comentados.

Mas o artigo também foi alvo de muitas críticas, tanto dos pró como dos contra Bolsonaro. Até o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, soltou uma nota se dizendo indignado com Schwartsman.

Daí, o ministro André Mendonça tuitou que, apesar da liberdade de expressão e imprensa serem direitos fundamentais, eles são limitados pela lei. E tascou um artigo de Lei de Segurança Nacional para dizer que a PF vai pra cima do colunista.

Desejar a morte de alguém digamos que não é algo legal. Mas assim como Schwartsman, Bolsonaro, durante entrevista em 2015, desejou o fim do mandato da presidente Dilma: “Eu espero que acabe hoje, infartada ou com câncer, de qualquer maneira.”, disse ele.

PP. Para os Perdidos. André Mendonça era o Advogado-Geral da União. Com a saída de Moro foi escolhido e nomeado ministro da justiça numa cerimônia onde prestou continência a Bolsonaro e o chamou de profeta.
PP1. No mês passado o novo ministro da justiça também pediu que a PF enquadrasse o jornalista Ricardo Noblat e o chargista Aroreira por conta de uma charge que associava o presidente ao nazismo.
PP2. Vamos combinar que tá rolando um exagero. Daqui a pouco qualquer um que escreva algo que não agrade Bolsonaro, pode tomar um enquadro na Lei de Segurança Nacional.