#baratavoa. Meia volta, volver!!!

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

É darling, esta é a grande discussão do momento: se pode ou não haver uma intervenção militar constitucional. Aff!!!

O procurador amigo geral da república bolsonarista deu mais uma demonstração de que está afinadíssimo com o comandante em chefe. Aras disse ontem em entrevista ao Bial que as Forças Armadas podem sim intervir caso um dos poderes invada a competência do outro poder. Eita nóis. É treta!!! O procurador disse que é isso que diz o artigo 142 Constituição, que tem sido invocado por Bolsonaro, bolsonaristas e afins.

A Ordem dos Advogados do Brasil rebateu hoje e disse que não pode não. Enfim, essa é a discussão agora, se pode ou não haver uma intervenção militar constitucional.

Aí o Aras, hoje, deu um Meia volta, volver!!!!! Yes, darling, hoje tentou suavizar o que disse ontem, até porque o povo do ministério público não gostou nada da posição do procurador geral. Em nota hoje ele disse que não disse o que disse mas disse de novo. Aff. Ele explicou que a Constituição não admite intervenção militar, mas que conflitos entre poderes, associados à calamidade pública, podem incitar uma desordem social e então as Forças Armadas podem ser acionadas.

“As Forças Armadas existem para a defesa da Pátria, para a garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de quaisquer destes, para a garantia da lei e da ordem, a fim de preservar o regime da democracia participativa brasileira”.

#PP (para os perdidos). Augusto Aras é procurador geral da República, nomeado por Bolsonaro para o cargo. O Ministério Público tem completa independência dos poderes. Será que também pode ter intervenção militar no Ministério Público?
#PP1. Constituição Federal: Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.