#BrequeDosApps. Menos de um salário mínimo. 14 horas por dia.

Os entregadores de aplicativos fizeram greve ontem e tomaram algumas ruas nas grandes cidades do Brasil. Os novos empreendedores, diriam alguns. Mas não passam de trabalhadores sem férias, sem décimo terceiro, sem plano de saúde. E que recebem uns trocos por cada entrega que fazem.

Eles pararam para pedir um percentual maior das entregas que fazem principalmente para Rappi, iFood, UberEats, e pedem pelo menos algum tipo de auxílio nesta pandemia. Os aplicativos não fornecem sequer máscaras. Eles reclamam também que são bloqueados dos aplicativos de uma hora para outra sem qualquer justificativa.

Só em São Paulo são 280 mil entregadores. É uma cidade inteira só de motoboys. Nem todo mundo aderiu ao movimento, mas de qualquer forma a paralisação atrapalhou o rolê dos aplicativos. E mostrou que sim, eles têm força pra reunir gente. Será que estamos vendo o nascimento de um novo tipo de movimento sindical?

– Durante a reportagem um motoqueiro sofreu um acidente. Em Maio, 40 motociclistas morreram na cidade mesmo com o movimento mais baixo por conta da pandemia. Este é outro ponto de grande preocupação para eles.

Vídeo de Marcelo Chello