#baratavoa. Usaram a palavra sabotagem para o Enem.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

Bolsonaro veio com papo de “sabotagem” para o que está acontecendo com o ENEM. O que tá acontecendo com o ENEM, Tixa? Aff, darling. Vai para os perdidos.

O presidente disse que claro que pode ter sido erro “nosso”, ou falha humana e daí acrescentou a sabotagem. Sim, ele disse que todas as cartas estão na mesa. “Não posso me eximir de uma responsabilidade que talvez seja nossa. E se foi de outro tem que mostrar as provas”.

Então vá saber o que o ator, cantor, coveiro, roteirista, atirador, gaitista, modelo e manequim, apresentador infantil e eventualmente ministro da Educação, Abraham Weintraub, andou falando para o chefe, né não? Vamos combinar que sabotagem poderia talvez salvar o cargo do ministro, amigo número 1 de Dudu, o 03. De resto….

#PP (para os perdidos). O MEC admitiu um erro na correção das provas do ENEM e a Justiça mandou suspender a divulgação do resultado do Sisu porque o ministério tratou o assunto meio de qualquer jeito. Sisu é o sistema que distribuiu as vagas em universidades de acordo com a nota do ENEM.

#baratavoa. Brasileiro confia mais nas tias do ZAP do que em Bolsonaro.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Chegou aquele momento em que os grupos de família do WhatsApp viraram uma instituição mais confiável que as instituições. Pesquisa do Instituto da Democracia divulgado pelo Valor mostra que as pessoas confiam muito mais nesses grupos do que no presidente, no Supremo, na mídia, na Justiça, no Congresso, no Facebook, nos partidos políticos. Esses três últimos então, estão só pó. Ô fase.

E quem são os mais confiáveis? Pela ordem, os cinco mais são: A Polícia Federal, as Igrejas, as Forças Armadas, a Polícia Militar e os Grupos do Zap.

E claro que o ministro Moro foi fazer uma média com os policiais na sua recém estreada conta do Insta, antes que Bolsonaro resolva tirar a PF da sua pasta.

#PP (para os perdidos). Na semana passada, Bolsonaro disse que ia pedir a ministros que estudassem tirar a Segurança Pública do ministério do Moro. Junto a polícia federal também mudaria de ministério. No mesmo dia que Bolsonaro disse isso, Moro entrou no Instagram. Já está com mais de 855 mil seguidores.

Pós Post: Ai Tixa, mas por que você comparou com o Bolsonaro e não com a mídia, no título? Porque quem é o rei do Zap é o Bolsonaro, darling. (a gente até tenta, sabia que temos o Tixa no Zap? www.lagartixadiaria.com.br/ajude)

#baratavoa. Fake Ministro.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

A Justiça reiteradamente impedindo a divulgação do Sisu por conta da trapalhada na correção do Enem e o que está fazendo o ator, cantor, roteirista, gaitista, modelo e manequim, apresentador infantil, coveiro e eventualmente ministro da educação, Abraham Weintraub? Espalhando fake news sem qualquer relevância.

Hoje cedo ele publicou que Reinaldo Azevedo foi demitido da Band. Além de ser mentira e o ministro já ter sido informado do erro, qual a importância desta notícia para os milhões de estudantes que estão à espera da solução para o caso do Enem e do Sisu?

Mas o caso do ministro é ainda mais grave. O sujeito faz todas as suas comunicações sobre o que está acontecendo com o Sisu pelo Twitter, ontem chegou a resolver o problema do filho de um apoiador pelo Twitter, mas o que ele faz com quem acha que é de esquerda e reclama do caos? Bloqueia.

O movimento para a demissão do ministro só cresce e ele resolver o problema de um estudante pelo Twitter, só porque seu pai é apoiador de Bolsonaro, sem atender a todos os estudantes isonomicamente poderá colocá-lo em maus lençóis. É só ver a decisão do Tribunal Regional Federal em que fica claro que não houve até agora transparência do MEC na correção das provas e alteração das notas do Enem.

Veja o que disse a presidente do TRF que manteve a decisão de primeira instância, suspendendo divulgação do resultado do Sisu:

“Dar prosseguimento ao cronograma, sem enfrentar adequadamente as consequências de algo ocasionado pela própria União é que é um risco à política educacional do país, e não o contrário, porque implica validar os resultados de um exame, utilizando-o para definir o futuro das pessoas e balizar políticas públicas, sem que houvesse um grau mínimo de transparência a respeito dos pedidos apresentados pelos candidatos e uma reavaliação do impacto que o equívoco teve para os demais candidatos”

#PP (para os perdidos). O Sisu é o sistema em que os alunos usam suas notas do Enem para pleitear vagas nas universidades.
#PP1. Às vésperas da abertura das inscrições do Sisu, o MEC admitiu que houve falha na correção de algumas provas e a toque de caixa abriu prazo para que alunos pedissem revisão da nota. Mas o período foi muito curto e o MEC não revisou todas as provas.

#baratavoa. De super a meio ministro.

“Lógico que o Moro vai ser contra”, já antecipou Bolsonaro. Mas mesmo assim parece que o super ministro da Justiça e Segurança Pública vai perder metade do ministério. Ihhh Tixa!!! Desidratar que chama? Pois é, darling. E desidratar exatamente na área em que Moro diz que está dando resultado. No Roda Viva, na segunda, se Moro queria fugir da pergunta ele começava a falar da queda de homicídios.

Mas os secretários de segurança dos Estados estão reivindicando a volta do ministério de segurança pública. E Bolsonaro está bem propenso…. e já disse que Moro ficaria só com a Justiça. Nada mais justo já que o juiz gosta de combater a corrupção, né não? Mas no primeiro ano, Moro não teve muita história para contar sobre essa área. E ainda teve que engolir vários denunciados no governo.

#baratavoa. Você está preparado para concordar com o Malafaia?

A imagem pode conter: 1 pessoa

Este post é para aqueles leitores que vivem dizendo: “não imaginava que assinaria embaixo do que diz Alexandre Frota” ou “não acredito que estou achando que Rodrigo Maia é a pessoa mais ponderada do mundo” ou “a Joice está certa. Socorro!”. Pois chegou o momento de dar um salve para o pastor Silas Malafaia.

O pastor, ao Globo, sobre a política de abstinência sexual para adolescentes, da ministra Damares:
“Não acho que isso é um assunto de política pública, de Estado. É um assunto de consciência de família, de instruir nossos adolescentes e jovens de que na vida tudo tem uma hora e um tempo”

Teve mais:
“Nós, evangélicos, ensinamos nossos jovens, da Igreja evangélica, a se absterem e esperarem a hora certa, porque não foi o diabo que fez o sexo. Nós cremos. Não posso querer que outros, que não tenham o meu princípio, creiam naquilo que eu creio. Esses são princípios nossos”.

Mas claro que pode ser que você não concorde com tudo, afinal poderia dar tilti.

Malafaia sobre o que ele acredita ser a educação sexual da esquerda:
“Não querem ensinar sobre sexo, querem ensinar sobre ideologia, querem dizer que menino pode transar com menino. Aí começa a bandidagem e a vagabundagem.”

#PP (para os perdidos). No começo do ano, O Globo mostrou em reportagem que o ministério da Damares estava preparando políticas públicas baseadas em abstinência sexual para evitar gravidez precoce na adolescência.

Foto retirada da rede social de Malafaia.

#baratavoa. Glenn diz que é ataque à imprensa.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Glenn Greenwald diz que MPF está atacando a liberdade de imprensa ao fazer a denúncia contra ele no caso do hacker de Araraquara. A história já ganhou os sites dos jornais mundiais, darling!!!!!

E Glenn já abre a nota oficial que divulgou dizendo que Bolsonaro e seus apoiadores já mostraram que não acreditam em liberdade de imprensa e que Moro já tinha tentado desqualificar o trabalho jornalístico dizendo que ele era aliado de hackers!!!

Mas o que o Bolsonaro tem a ver, Tixa? Estratégia darling. Talvez uma insinuação de Glenn de que o procurador age por ideologia.

Glenn lembrou, por exemplo, que o procurador que está denunciando o caso é o mesmo que há pouco tempo quis censurar o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, que é um claro opositor de Bolsonaro. A Justiça barrou a tentativa.

O que pega mais na história da denúncia contra Glenn é que o procurador estava proibido por decisão do Supremo de investigar o jornalista porque foi entendido que isso feria a liberdade de imprensa e a proteção de sigilo da fonte do jornalista. Aí o jornalista que não poderia ser investigado é denunciado?

Além disso, segundo a nota de Glenn, a PF já havia investigado o caso com base nas mesmas conversas divulgadas agora pelo MPF e tinha concluído que não houve crime algum.

E durmam com um barulho desses!!!!

PP. (para os perdidos). Glenn foi denunciado porque o procurador entendeu que ele recebeu o material da #VazaJato enquanto os crimes ainda aconteciam, sabia disso e até teria ajudado os hackers a despistar investigações. Das conversas divulgadas pelo MPF não dá para entender que Glenn ajudou. Veja no post anterior a conversa na íntegra.

#baratavoa. Veja íntegra da conversa de Glenn com o hacker.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Darling, está treta. Ixi, Tixa!!! Começou com Darling é porque a coisa está feia, né? E está, darling. A conversa entre o hacker e Glenn que levou o Ministério Público a denuncia-lo por crime está toda aqui:

GLENN GREENWALD: Tudo bom?
LUIZ MOLIÇÃO (hacker): Então, é… a gente… eu tava discutindo com o grupo, eu queria falar com você um assunto.
GLENN: Hã?
MOLIÇÃO: É… como tá agora, tá saindo muita notícia sobre isso, a gente Chegou… nós chegamos à conclusão que eles tão fazendo um jogo pra tentar desmoralizar o que tá acontecendo.
GLENN: Uhum.
MOLIÇÃO: Igual, o que aconteceu com o Danilo Gentilli, é… o MBL, o Holiday, a gente pegou outubro do ano passado. Eles tão começando a falar disso agora.
GLENN: Pegou o quê?
MOLIÇÃO: A gente puxou o Telegram deles ano passado. Eles tão falando disso agora.
GLENN: Ah, sim sim.
MOLIÇÃO: Então, tudo o que eles, que já aconteceu…
GLENN: Ah sim.
MOLIÇÃO: Eles tão puxando pra agora.
GLENN: Eu vi isso que alguém publicou alguma coisa falando que o Holiday e MBL “foi hackeado”.
MOLIÇÃO: Isso. Eles tão usando isso agora. Então, a gente crê que é um jogo que eles tão fazendo
GLENN: Mas com com… qual motivo?
MOLIÇÃO: Porque é… como agora tá vindo também notícia do… dos ata… dos ataques ao Moro, ao MPF, já, já tão pre… prevendo que vai acontecer alguma coisa.
GLENN: Com certeza, mas eu, isso depende… a a dificuldade é entender o motivo com que eles tão tentando… porque… que que estamos pensando é que quando publicamos, obviamente, todo mundo “vou” utomaticamente pensar que “essa material” é enganação como por exemplo tudo o que aconteceu “no semana” passada com Moro.
MOLIÇÃO: Sim.
GLENN: E nós vamos deixar muito claro que nós recebemos tudo muito antes disso, e não tem nada a ver com isso, entendeu?
MOLIÇÃO: Uhum. Mas o que acontece? O que eles tão falando também é que o celular, ele foi hackeado. Não! O que a gente faz é pegar o Cloud do Telegram. A gente não pegou nada do celular.
GLENN: Entendi. Então, eu sei, eu sei. Mas, é possível que tenha um “outro pessoa” fazendo isso?
MOLIÇÃO: É provável.
GLENN: Isso é uma coin… é é… é uma coin… é uma coincidência que…no tempo que estamos prontos para publicar que isso está acontecendo eram outras pessoas.
MOLIÇÃO: Sim, mas igual a gente falou, nosso perfil não é de é… fazer… chamar atenção.
GLENN: Eu sei, eu sei , eu sei disso. Então, tem duas opções obviamente são: um, tem “outro pessoas” tentando hackear ou hackeando eles, ou o outro é que elas tão mentindo. Mas eu não posso entender o motivo para mentir.
MOLIÇÃO: Uhum.
GLENN: Porque, por exemplo, se eles soubessem que… alguém está preparando de publicar ou que, ou pior ainda, que nós “estamos pronto” para publicar, “eles ia” pra Tribunal, pegam um ordem do Judiciário proibindo qualquer publicação ou reportagens com esse material, mas ainda ninguém fez isso. Então, isso está me deixando a impressão que eles não sabem quem tem “essa material”.
MOLIÇÃO: Não, saber eles sabem.
GLENN: Porque… oi?
MOLIÇÃO: O Deltan, ele sabe que pegaram. Tanto que ele…
GLENN: Ele sabe que alguém pegou, mas ele não sabe quem tem.
MOLIÇÃO: Sim, isso é certo, eles não sabem quem pegou.
GLENN: Então, então, para mim que não estou entendendo é o motivo, o motivo desse jogo. Para fingir com essa é… ou por que por que eles tão plantando “essas artigos” sobre como Moro e “Dalton” e MBL está sendo hackeado? Eu não entendo o motivo. Entendeu?
MOLIÇÃO: Sim.
GLENN: Mas é uma coincidência grande. Eu… isso é, tem “um chance” muito grande que tem uma conexão com tudo, tudo disso, mas… nós estamos trabalhando muito o mais rápido possível para publicar, ah… três artigos no mesmo tempo que vai ser muito explosivo, e… isso vai acontecer muito logo.
MOLIÇÃO: Sim. A gente também queria saber a sua opinião a respeito de algo. Como, assim que você publicar os artigos, todo mundo vai excluir as conversas, todo mudo vai excluir o Telegram, a gente queria saber se você, o que você recomenda fazer. A gente tem alguns nomes separados, a gente pegar esse final de semana já puxar a conversa de todo mundo ou deixar quieto por um tempo. Porque as… tem tem pessoas que tem um
número antigo, ou seja, nem tem mais o número, que dá pra puxar as conversas que tem.
GLENN: Sim. Olha, nós vamos, por que que vai acontecer? É que com certeza eles vão tentar acusar a gente que nós participamos na, na no hack. Eles vão tentar acusar que “nós formam” parte dessa ah… tentativa de hackear. Eles vão com certeza acusar. Então para mim, mantendo as conversas, são as provas que você só falou com a gente depois você tinha tudo. Isso é muito importante para nós como jornalistas para mostrar que nossa fonte só falou com a gente depois que ele já tinha tudo.
MOLIÇÃO: Sim.

#baratavoa. Cliente de Wajngarten é o que mais ganha verba da SECOM.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, tela e óculos

O chefe da comunicação de Bolsonaro, Fabio Wajngarten (já até aprendi a escrever sem precisar olhar), deu uma entrevista para um site de direita dizendo que não fez nada de errado e se gabou de não ter feito licitação nenhuma durante sua gestão à frente da SECOM, a secretaria que ele comanda. Ele pode não ter feito licitação, mas hoje a Folha revela que um de seus clientes da sua empresa, a FW Comunicação, passou a ser o maior recebedor de verbas da SECOM. Ihhh, deu ruim.

O cliente é a Artplan. E na gestão de Wajngarten, a agência recebeu da secretaria R$ 70 milhões entre 12 de abril e 31 de dezembro de 2019. Nada mais, nada menos, do que 36% mais do que o pago no mesmo período do ano anterior. A agência foi contratada nas gestões anteriores da SECOM para fazer a propaganda da Reforma da Previdência. Mas os então comandantes da área estavam segurando liberação de pagamentos e da própria campanha. Autorizaram uns 30 pagamentos. Já Wajngarten autorizou mais de 2 mil pagamentos. Eita.

Também vale lembrar que Record e Band também são clientes da FW e passaram a ter uma fatia maior da verba de publicidade do que a Globo. Claro que Wajngarten pode dizer, no casos das TVs, que no geral elas receberam menos do que em anos anteriores. O que é verdade. Mas de qualquer forma houve uma mudança no direcionamento.

#PP (Para os perdidos). Fabio Wajngarten é secretário de comunicação de Bolsonaro e ao mesmo tempo dono de 95% da empresa FW Comunicação. De um lado Wajngarten libera dinheiro da SECOM para essas empresas. De outro, ele as tem como clientes em sua empresa. Wajngarten nega o conflito de interesses e diz que fez o que a lei manda que era se desvincular de ser administrador. Ele só não conta que o novo administrador é irmão do seu secretário adjunto na SECOM.

Foto retirada do Twitter de Fabio Wajngarten.

#baratavoa. Bolsonaro é o novo Evo? O novo Chaves?

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé

Oito anos de Bolsonaro? Que nada, darling, O presidente revelou hoje que seus pensamentos estão indo para além de 2026 ao falar sobre sua relação com a imprensa:

“Não é uma lua de mel. É um casamento de quatro ou oito anos. Ou, quem sabe, por mais tempo lá na frente. É um casamento que os frutos serão o bem-estar desse povo”

#PP (Para os perdidos). Evo Moralez, ex-presidente da Bolívia, alterou a lei para ser eleito para um terceiro mandato. Foi eleito. Não satisfeito fez um plebiscito para poder se candidatar a um quarto mandato. O plebiscito disse não. Mas ele conseguiu se candidatar mesmo assim por ordem Suprema. Ganhou as eleições, que tiveram suspeitas de fraude. Teve um golpe e ele saiu do poder antes mesmo de terminar o terceiro mandato.
#PP1. Hugo Chávez governou a Venezuela por 14 anos até sua morte, em 2013. Chegou a ser reeleito mais de uma vez e, se não tivesse morrido, teria ficado na presidência até 2019. Quando foi eleito a primeira vez não havia reeleição e ele mudou a Constituição.

Na foto, Bolsonaro com Evo durante sua posse.

#baratavoa. Cai nota do ENEM no primeiro ano de Bolsonaro.

A imagem pode conter: 2 pessoas, barba, óculos e close-up

23:59. O Pisa foi de 2018. A culpa é do PT. Nós somos responsáveis só a partir de 2019.
00:00. Caem notas médias do Enem, em 2019. A culpa é do PT.

O ator, cantor, roteirista, apresentador infantil, atirador, gaitista, piadista e eventualmente ministro da Educação, Abraham Weintraub, ontem, na live de quinta de Bolsonaro dizia que a imprensa quis botar o Pisa, o exame mundial que mede a qualidade da educação, na conta de Bolsonaro, mas que os resultados eram de 2018. E fez questão de dizer que o governo só tem responsabilidade na educação a partir de 2019.

Aí hoje, com o resultado da queda da média das notas do Enem, em 2019, o ministro disse que não gosta de usar essa abordagem. Que abordagem, Tixa? De usar um exame nacional, feito por todos os alunos, para medir qualidade de ensino. Isso daí é só para saber quem são os melhores, segundo o ministro.

E obviamente, a culpa da queda das notas é porque o pessoal votou no PT. Tixa, mas não foi o Bolsonaro que se elegeu? Ai darling, não sei o que Weint quis dizer. Olha aí:

“O ensino não avançou no Brasil. O resultado mostra que os alunos não apresentaram uma evolução ano contra ano, porque o pessoal votou no PT e tem a lápide da educação aqui embaixo, do Paulo Freire. É o paradigma do fracasso. Pior país da América do Sul. É isso.”

É isso.

#PP (Para os perdidos). O Brasil até melhorou no ranking geral do Pisa, em 2018. É bom? Não. Mas não piorou. Weintraub, no entanto, gosta de reforçar que o Brasil foi o último da América do Sul. O ministro só não conta que apenas seis países sul americanos participam do ranking e que o Brasil está em último empatado na nota com Argentina e Peru. Perde para Chile, Uruguai e Colômbia.

Foto: Marcelo Chello
Fotografado: Abraham Weintraub