#PlainVanilla. XP demite economista que dizia umas verdades sobre a economia de Bolsonaro.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

Você que anda aqui pelas redes sociais certamente já viu algum anúncio da XP ou leu a história de como o presidente Guilherme Benchimol virou um bilionário. A corretora ganhou ar de grande bancão recentemente quando lançou suas ações na bolsa de Nova York e resolveu agir como um bom bancão: demitiu sua principal economista, Zeina Latiff, porque ela critica a condução da economia no governo Bolsonaro. Ora Zeina, por que melar o oba oba do mercado financeiro com a realidade? As fake news são tão mais interessantes!

Claro que tanto a XP quanto Zeina deram ares de estou saindo porque a XP vai se voltar para um público mais de varejo que não é muito a minha área. Mas como relatou Guilherme Amado, da Época, os sócios não queriam mais ter que acordar e ver comentários de Zeina assinando como economista chefe da XP Investimento. Que sócios? Tipo, o Itaú.

Mas o que ela fez, Tixa? Disse verdades do mundo real, darling! Escreveu, por exemplo, um artigo no Estadão logo no segundo dia do ano dizendo que a euforia do mercado financeiro não é compartilhada com o setor produtivo, que está sofrendo com a economia que patina.

Aliás, ela bota os bois no lugar certo e diz que o mercado financeiro está eufórico porque reflete a expectativa do “grupo da elite”, que está longe de representar a totalidade das empresas. Os empresários em geral não estão assim tão otimistas. O consumo cresceu, é fato, mas a produção industrial caiu 15%.

Ela ainda criticou Bolsonaro e a agenda de reformas que não andou, a despeito da reforma da previdência. Lembrou aos liberais que tá faltando ação liberal de Bolsonaro. Ele não privatizou nada. Na verdade, só vem desistindo de privatizar.

E registrou o mais importante: que os desocupados e desalentados são 17 milhões no Brasil e que em 2018 a desigualdade aumentou.

O estilo Zeina sincerona parece que não agradava muito a XP. E o que faz a XP, Tixa? Ela diz que ajuda você a escolher os melhores investimentos.

Pós Post: Nossa leitora Patricia Cunegundes nos lembrou que Zeina Latif foi a economista que disse em seminário em Brasilia que quem ganha um salário mínimo no Brasil tem condições sim de fazer poupança. Então tá, né?