#subindopelasparedes. 12 homens e um pedido.

A assustadora história de um ministro que age contra o meio ambiente com aval do presidente do país.

Tixa do céu? Que filme é esse? Terror, darling. A treta é que 12 procuradores do MPF pedem o afastamento imediato do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sob a acusação de improbidade administrativa. O rolê mais pesado é por conta das medidas que ele tomou e que tiveram as bênçãos de Jair Bolsonaro. Isso mesmo, o presidente sabia e batia palmas para, por exemplo, a exoneração dos servidores do Ibama que combatiam o garimpo ilegal em reservas indígenas.

Os procuradores citaram Bolsonaro na ação, mas ele não é alvo. Lembram quando ele parou na porta do Alvorada e mostrou para a imprensa a tela da conversa no zap com o Moro? Naquela ocasião acabou escapando uma troca de mensagens onde ele cobrava uma ação em relação aos equipamentos dos garimpeiros queimados pelo Ibama durante uma fiscalização em terras indígenas em Altamira(PA). O presidente sempre foi contra a destruição das máquinas dos criminosos do meio ambiente.

Depois dessa ação vários foram exonerados do Ibama por Salles. Coincidência, Tixa? Para o Ministério Público not, darling. Os procuradores afirmam que as exonerações foram feitas com finalidades incompatíveis e para melar o trabalho de controle e fiscalização do órgão contra o garimpo na Amazônia.

Em nota o ministro disse que os procuradores estão na pegada ideológica e querendo destruir as políticas públicas do governo bolsonarista.

PP. Para os Perdidos. Ricardo Salles falou, durante aquela reunião ministerial treta que o supremo Celso de Mello autorizou a divulgação, que enquanto a imprensa estava ocupada com a divulgação da Covid-19 era a chance de passar a boiada e mudar todas as reformas infralegais. Simplificar normas e regulamentações, etc. Leia-se, afrouxar as regras de proteção ambiental.

PP1. Dias atrás fundos estrangeiros e empresários brasileiros se manifestaram exigindo proteção à floresta amazônica e aos povos indígenas.

PP2. Nos bastidores Salles está se sentindo fritado pelos generais do governo. Daí, hoje, o general Ramos foi para as redes dizer que é a imprensa que fica insinuando essa maldade. Que ele admira o trabalho e bravura do competente ministro, blá, blá, blá. Sei!