#subindopelasparedes. Bolsonaro agradando os EUA.

A imagem pode conter: 2 pessoas, terno e texto

Após 27 anos, o Brasil rompe a tradição de votar contra o embargo imposto à Cuba pelos Estados Unidos.

Tixa, ainda estou digerindo o post do Gleen, nem vou falar nada. Tá bom, darling. Se recomponha aí. A notícia é que pelo placar de 187 a 3, a ONU, que reúne todas as nações, condenou pelo 28o. ano consecutivo o embargo que os EUA impuseram à Cuba.

E, advinha de quem são os votos a favor do embargo, além do Tio Sam? Israel e Brasil-sil-sil. Sim, o país que sempre foi contrário ao embargo este ano, sob o comando de Bolsonaro, resolveu mudar de lado.

Qual a surpresa, Tixa? Desculpa, não me contive. Ai, Darling. Você tem razão, surpresa seria se o governo Lula tivesse votado com os americanos!

PP. (Para os Perdidos). O embargo dos Estados Unidos à Cuba tem caráter econômico, comercial e financeiro. Teve início em 1958, mas foi em 1996 que foi transformado em lei nos EUA.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *