#subindopelasparedes. Bolsonaro bota cultura em rota de colisão.

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

Bolsonaro falou, falou, falou e agora usou a sua bic para entrar definitivamente em rota de colisão frontal com a classe artística tradicional. Acaba de nomear Roberto Alvim para o cargo de secretário da Cultura, o que seria o antigo ministro da Cultura.

Mas quem é esse, Tixa? Não ia ser o filho do pastor? Ia, mas não foi. Alvim é aquele diretor de teatro, ex-esquerdista, que se converteu ao cristianismo, ao bolsonarismo, ao conservadorismo, virou diretor da Funarte e atacou recentemente Fernanda Montenegro a chamando de sórdida e mentirosa. Ah!!! Esse!!!

A expectativa era de que ele virasse presidente da Funarte, que é o órgão de apoio à Cultura, mas Bolsonaro foi além. Botou para mandar na coisa toda. Também, depois de Alvim demonstrar toda sua submissão à causa bolsonarista nas redes.. até eu nomearia.

Alvim por exemplo disse que é preciso criar uma TV conservadora com urgência, encampou o boicote a anunciantes da Rede Globo, xingou Witzel por conta da história do porteiro do caso Marielle e nem quis comentar os artistas que foram ao STF dizer que o governo Bolsonaro está praticando um novo tipo de censura, a ideológica.

Artistas como Caetano Veloso, Dira Paes, Caio Blatt, Gregorio Duvivier, Caco Ciocler estiveram no Supremo. Eles estão preocupados com a censura e foram falar em processo contra decreto de Bolsonaro que muda o Conselho Superior de Cinema para a Casa Civil e sobre a interrupção de editais que tratam de temas de diversidade na TV pública.

Agora todos eles já devem ter percebido que este era o menor dos problemas. Alvim vai causar. Preparem-se.

#PósPost: Será que foi para nomear Alvim que Bolsonaro transferiu a secretaria da Cultura do ministério da Cidadania para a do Turismo? Diria que o ministro Osmar Terra da Cidadania e Alvim não são assim os mais chegados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *