#vazaJato. A turma do abafa.

A imagem pode conter: céu, árvore e atividades ao ar livre

#vazaJato. A TURMA DO ABAFA. O procurador Diogo de Castro escreveu em abril um artigo para O Antagonista chamando a segunda turma do STF de “turma do abafa” porque decidiram que casos de caixa 2 de campanha deveriam ir para a Justiça eleitoral. Aparentemente o procurador entende de abafa. Hoje o Intercept revela mensagens do Telegram de Deltan Dallagnol mostrando que os procuradores formaram uma turma do abafa para evitar que Castro fosse punido pelo conselho dos procuradores.

O procurador Castro confessou ao corregedor do Ministério Público que pagou por um outdoor na entrada de Curitiba com uma foto de todos os procuradores da Lava jato e dizendo que “aqui a lei se cumpre”. E nada aconteceu com ele. Segundo mostra a reportagem, o pagamento do outdoor foi feito por uma pessoa que sequer teria condições de fazê-lo.

Alguns dias depois Castor pediu para sair da Lava Jato com um atestado psiquiátrico de estafa. A reportagem mostra que os procuradores agiram para esconder a informação e para a imprensa e mesmo inicialmente para o corregedor negavam que o outdoor tivesse alguma relação com os procuradores. Dallagnol chegou a dizer que se a procuradoria tivesse pago pelo outdoor seria caso de “internação não de corregedoria”. Talvez daí tenha vindo a ideia de ir ao psiquiatra.

Na foto, o outdoor da República de Curitiba.