WHATSAPP FOI PIVÔ DA TRETA ENTRE BTG E XP

#plainvanilla. WHATSAPP FOI PIVÔ DA TRETA ENTRE BTG E XP. Guilherme Benchimol, presidente e fundador da XP, leu na revista IstoÉ que Sérgio Cabral transportava malas de dinheiro nos aviões de Eike Batista e André Esteves para comprar diamantes. Não teve dúvidas: compartilhou no grupo de WhatsApp da firma, administrado por um sócio da XP. O que já aprendemos com o presidente Jair Bolsonaro? Tudo vaza. O pessoal do BTG ficou sabendo do compartilhamento, segundo eles por relatos de clientes e parceiros. E ficaram magoadíssimos. Por que espalhar FakeNews, Benchimol? O presidente do BTG, Roberto Sallouti, foi lá e notificou Itaú, XP, todo mundo. (Por que o Itaú está na história, Lagartixa? Veja no PP lá embaixo). Aí foi Benchimol que magoou. Em documento de resposta ao BTG, que a Lagartixa Diária teve acesso, o diretor jurídico da XP diz que quando ocorreu o “evento desagradável” envolvendo o banco BTG em novembro de 2015, entenda-se André Esteves sendo preso, Benchimol enviou emails para clientes e assessores pedindo calma e orientando que não fossem feitos resgates dos fundos dos amigos. O diretor jurídico foi além: disse que o sr. Benchimol, “com a melhor das intenções e deixando claro que se tratava de boato”, compartilhou a matéria da revista IstoÉ. Depois disso veio a briga na Justiça por conta dos agentes autônomos. XP acusa BTG de ter roubado sua estratégia e seus autônomos e o BTG acusa a XP de concentração de mercado. Enfim, treta monstra que veio a público em dezembro com matéria de Vanessa Adachi, no Valor Econômico. Nesta semana, em coletiva de imprensa durante evento do BTG em São Paulo, Sallouti falou como se comportar no WhatsApp. Se fez de desentendido sobre o pivô da briga. Mas não se furtou a falar sobre a XP: ‘ELE QUE TÁ COM TRETA COMIGO, EU TÔ TRANQUILO’. 
#PP. (Para os Perdidos). O banco Itaú é hoje um dos maiores acionistas da XP. As autoridades aprovaram a compra de 49,9% do capital da XP Investimentos no ano passado. 
#PP2. André Esteves é fundador do BTG e foi preso em 2015 por ordem do Supremo. Naqueles dias, os investidores ficaram apavorados e começaram a fazer saques bilionários dos fundos do banco. Passados três anos, nada foi provado contra o banqueiro e ele foi absolvido das acusações.
#PP3. A briga com a XP acontece porque o BTG está entrando no mundo digital pelo setor de varejo, que é a especialidade da XP.